Botucatu, domingo, 22 de Setembro de 2019

Colunista Antonio Roberto Mauad – Turquinho Tecnólogo em Marketing e MBA em Administração Pública e Gerência de Cidades
28/06/2019

FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DA UNESP



               Frente Parlamentar em Defesa da UNESP, apresentada e presidia pelo deputado estadual Fernando Cury, e que se encontra entre as cinco maiores frentes parlamentares da ALESP/2019, cuja função é ser a interface entre UNESP com o Pode Legislativo no dialogo político suprapartidária e o governador/Poder Executivo, salientando que a Frente Parlamentar NÃO tem relação alguma com a CPI das universidades públicas paulistas: USP, UNESP e UNICAMP em curso na Assembléia.

               Frente Parlamentar como da UNESP, atua norteada por idéias e ações na defensa dos direitos de certos temas e grupos por parte dos parlamentares, neste caso os deputados da ALESP como o Fernando Cury e seus pares na defesa da manutenção das atividades acadêmicas da UNESP.

               Sendo uma interface política, a Frente Parlamentar e seus atores farão profunda analise da UNESP e sua trajetória culminando na atual conjuntura, sendo nossa universidade a mais presente no estado paulista em 24 cidades, com 34 faculdades e institutos de pesquisa, que oportuniza ao brasileiro o ingresso em uma instituição acadêmica pública, de qualidade e gratuita que tem transformado a vida de muitos, desde sua criação em 1976 quando da fusão de alguns Institutos Isolado de Ensino Superior do estado de São Paulo.

               A UNESP, sobretudo nestes últimos quatro anos vem enfrentado uma forte crise financeira estrutural fruto das conseqüências de gestões que foram legados aos seus substitutos, temas que se avolumaram e inevitavelmente vieram à tona, e não há o que fazer se não buscar uma solução técnica-política, pois se trata de um órgão público vinculado ao Poder Executivo paulista, e depende de atos legislativos da ALESP e aquiescência do Conselho Universitário da UNESP, assim não há solução sem que esta passe pela via política.

               A questão financeira estrutural, uma de suas causas se encontra no pagamento dos inativos/aposentados autárquico, fruto da desatenção dos reitores e suas gestões passadas, pois o aposentado autárquico unespianos não tem a mínima culpada quanto ao efeito da lei que o contratou, o custo administrativo de se manter 24 unidades universitário, entre outros são alguns dos temas a serem ponderados nos trabalhos da frente UNESP, a analise de seu histórico até o atual momento desta crise financeira estrutural que passa nossa grande universidade, cujo papel social é inegável, tem agora uma grande chance de ser debatido de forma isenta para que possamos apresentar ao mudo político/estado de São Paulo, pois somos ligado ao governo e assim tão somente dele parte a solução para a crise financeira, que passa pelas atribuições da ALESP, e assim juntos abrir caminhos à UNESP se manter grande em seu papel transformador, que é receber via vestibular alunos egressos do ensino médio e após alguns anos de estudo superior devolve-los à sociedade homens e mulheres com formação acadêmica de qualidade, contribuindo para a elevação da intelectualidade do país!    

               Frente Parlamentar em Defesa da UNESP se constitui em um marco para o ensino superior no interior paulista, que recebe em seus campi uma enormidade de alunos de baixa renda, e que tem na UNESP sua esperança cidadã de mudar de vida.

                Esperamos todos dias 18 de julho as 16:00 no auditoria da FCA no Lageado para o lançamento oficial da Frente Parlamentar em Defesa da UNESP. Venham todos em prol da UNESP.

                 Não é porque certas coisas são difíceis que nós não ousamos; é justamente porque não ousamos que tais coisas são difíceis.   –   Sêneca, Império Romano

 

Antonio Roberto Mauad – Turquinho. MBA em Administração Pública e Gerência de Cidades, colaborador deste jornal










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.