Botucatu, terça-feira, 23 de Julho de 2019

Cultura / Educação
29/03/2019

Mestre Tavares diz que a viola é como se fosse prolongamento do seu corpo



Violeiro se mostra um defensor da música sertaneja raiz, da viola, do folclore regional que carrega consigo e procura levar em todas as suas apresentações

 

 “A viola é como se fosse um prolongamento do meu corpo. Faz parte de minha vida e está em mim”. Foi o que disse um dos mais conhecidos violeiros e cancioneiros de Botucatu, João Tavares ou Mestre Tavares, no apogeu dos seus 75 anos, 60 deles dedicados à cultura da música sertaneja raiz.

“Sempre digo que sou um defensor da música sertaneja raiz, da viola, do folclore regional. Carrego tudo isso comigo em todas as minhas apresentações em shows. Claro que canto e toco músicas atuais, mas a essência é mesmo a música raiz”, coloca Tavares. “Não tem coisa mais gratificante do que ouvir uma boa música na batida da viola”, acrescenta.

Paralelo às suas apresentações, Tavares procura ensinar os mais jovens os segredos da viola e mantém sua academia de música, na Rua 9, nº 521, na Cohab I, telefone (14) 3813-5652.  Nessa escola, além da viola caipira, a pessoa interessada poder aprender a tocar violão.  O ensino é feito para pessoas a partir dos sete anos de idade.

“Não tenho nem ideia de quantas pessoas chegaram aqui sem saber nem pegar na viola e saíram tocando um pouco de tudo. Na verdade, ensino o básico e a continuidade do aprendizado dependem de cada aluno. Quanto mais o aluno pratica, mais se aperfeiçoa e ensinando, sempre aprendo um pouco mais”, diz, lembrando que aos 11 anos fez seus primeiros acordes na viola e nunca mais largou. Aos 15 já fazia apresentações em público.

Ao longo dos anos Tavares fez amizade e subiu em palcos com grandes artistas sertanejos, formando duplas de sucesso. Tocou viola para rodas de cururu por mais de vinte anos, acompanhando cantores como Zico Moreira e Orestes Neto. É regente de duas orquestras de violeiros, em Botucatu e Pardinho e, regularmente, promove encontro de violeiros.

“A viola é que me proporciona tudo isso e minha forma de agradecer é ensinar as pessoas a tocar e a gostar dela. Faço shows pela região, mas sempre que é possível reúno amigos cantores e violeiros aqui em casa para passarmos momentos de alegria e descontração. Amigos, canções e viola fazem parte do meu dia a dia”, concluiu Tavares.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.