Botucatu, terça-feira, 21 de Maio de 2019

Esporte / Saúde
11/01/2019

Unesp de Botucatu está registrando 10 casos de picadas de escorpiões por mês



Através de um decreto, o prefeito Pardini determina que os proprietários de imóveis e terrenos da Cidade façam a limpeza, ficando permitida a entrada coercitiva, quando necessária, de agentes de saúde acompanhados de autoridades, em imóveis e terrenos que o proprietário tenha negado a vistoria

 

Depois de o prefeito Mário Pardini assinar esta semana o decreto que autoriza situação de emergência à saúde pública para o combate a proliferação de escorpiões e Aedes aegypti em Botucatu, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina, da Unesp de Botucatu informa que, devido aos recentes casos de aparecimento e picadas de escorpião, visto a preocupação da população, vem a público esclarecer algumas informações sobre as condutas tomadas pelo HCFMB nestes casos:

- Em caso de acidente escorpiônico, o paciente é encaminhado ao Pronto Socorro Adulto (PSA) do HCFMB. É importante destacar que os acidentes escorpiônicos podem ser classificados como leves, moderados ou graves, de acordo com os sintomas. A avaliação do paciente no PSA consiste em uma investigação detalhada do caso, já que nem todos os pacientes que sofrem picada de escorpião recebem a indicação do soro antiescorpiônico. Na maioria dos casos, a conduta indicada é analgesia e bloqueio anestésico, realizados no próprio PSA.

- Se houver indicação da aplicação do soro, o paciente é rapidamente encaminhado ao Pronto Socorro Referenciado (PSR) do HCFMB. Destacamos que os soros para animais peçonhentos devem ser aplicados no HCFMB, já que o paciente deve passar pelo procedimento em sala de emergência, por um médico infectologista especializado, além de acompanhamento multiprofissional. No HC, o soro está armazenado de forma adequada, em geladeiras especiais.

- É importante lembrar que nesta época do ano as picadas de escorpião tornam-se frequentes devido ao período de chuvas. Por mês, cerca de 10 casos de picada de escorpião são registrados no município.

 

O decreto

O decreto foi publicado em Semanário Oficial na quarta-feira, 09, e estará em vigor pelo prazo de 90 dias e durante o estado de emergência, fica permitida a entrada coercitiva, quando necessária, de agentes de saúde acompanhados de autoridades, em imóveis e terrenos que o proprietário tenha negado a vistoria.

No documento o prefeito Pardini determina que nos próximos dias, a contar a partir da data de publicação do decreto, os proprietários de imóveis e terrenos da Cidade façam a limpeza destas áreas. Após esse prazo, caso a limpeza não tenha sido executada, a Prefeitura irá assumir a responsabilidade de capinar e dar manutenção nos imóveis e terrenos e irá autuar e cobrar pelo serviço executado.

A situação de emergência foi declarada com base no aumento dos casos de acidentes com escorpiões em Botucatu. Foram 98 casos em 2017, contra 108 no ano passado. E também o aumento do índice de infestação do mosquito Aedes aegypti, principal transmissor de arboviroses como a dengue, Zika, Chikungunya e febre amarela. No ano passado a Cidade ficou em estado de alerta por 1,4% dos imóveis apresentarem larvas do mosquito em sua estrutura.

Os proprietários que não realizarem a limpeza do terreno pagarão multa de R$ 5,50 por metro quadrado, o que equivale a R$ 1.375,00 para um lote padrão de 250 metros quadrados, conforme Lei Municipal nº 2.482. Os terrenos sujos podem ser denunciados por meio do Balcão da Cidadania pelos telefones: 3811-1401 ou 3811-1431, ou então pela Zeladoria, por meio do telefone: 3811-1428.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.