Botucatu, domingo, 26 de Maio de 2019

Regionais / Brasil
14/03/2019

Após massacre em Suzano, Secretaria de Segurança fará revisão nas escolas



Foto – Reprodução

Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, um dos atiradores do massacre em Suzano

Investigação aponta que os dois assassinos tinham um pacto de que se matariam após o ataque à escola e a dupla teria passado um ano e meio planejando massacre

 

Após o massacre ocorrido na Escola Estadual Professor Ruy Brasil, em Suzano, onde dois rapazes assassinaram várias pessoas e feriram outras tantas, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo informa que os procedimentos de segurança em todas as 5,3 mil escolas serão revisados e está em estudo um projeto para reforço à segurança nas escolas mais vulneráveis.

A polícia informou na noite desta quarta-feira (13) que as investigações sobre o massacre em Suzano apontam que um dos assassinos dos alunos e funcionários da escola matou o comparsa e depois se matou. Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, teria atirado em Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e depois se suicidou. 

De acordo com a polícia, os dois tinham um pacto de que fariam o ataque e depois se matariam. E que andavam pesquisando na internet massacres em escolas dos Estados Unidos. Além dos assassinos, outras oito pessoas morreram no massacre em Suzano.

Uma fonte policial ouvida em sigilo pelo jornal Folha de São Paulo afirmou que a dupla planejava o ataque há cerca de um ano e meio. Segundo a autoridade, Luiz e Guilherme conversaram sobre o ataque por meio de mensagens de texto. O teor das conversas não foi informado.

Uma das linhas de investigação da Polícia Civil é a de que o tio de Guilherme tenha descoberto o plano da dupla e, por isso, os criminosos teriam feito uma "queima de arquivo", antes de iniciar o massacre na escola. Outras linhas de investigação não foram esboçadas.

As investigações apontam ainda que as armas usadas no crime foram compradas por Guilherme, com o dinheiro que recebeu de um carrinho de cachorro-quente onde trabalhava. O valor das compras e onde foram feitas é verificado pela polícia.

Já o carro usado pela dupla, um Onyx branco, foi alugado por Luiz, segundo nota da Localiza, em 21 de fevereiro, com devolução para o dia 15 deste mês. A polícia também divulgou dois cadernos escolares apreendidos no carro usado pela dupla, nos quais há desenhos. O material será analisado por investigadores.

O massacre promovido por dois ex-alunos da escola ocorreu pouco após as 9h30 desta manhã. De acordo com a Polícia Civil, cinco alunos morreram, além de duas funcionárias da escola, o tio de um dos atiradores e os dois criminosos. Outras 21 pessoas foram encaminhadas para hospitais da região após o massacre em Suzano, entre feridos e outras pessoas que passaram mal.

Vale destacar que um dos dois assassinos que promoveram o massacre, publicou no Facebook, minutos antes do ataque, fotos com uma máscara de caveira e com uma arma.  Em post,  Guilherme Taucci de Monteiro, publicou cerca de 20 fotos na rede social em que aparece fazendo gestos obscenos, segurando um revólver e usando no rosto um lenço com um desenho de caveira — item semelhante foi encontrado no local do crime.

 










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.