Botucatu, quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

Segurança
29/03/2017

Três réus acusados de assassinato serão julgados nesta quinta-feira



Os acusados foram denunciados pela promotoria pública de serem partícipes do assassinato de Luiz Carlos Bento, crime ocorrido no dia 11 de janeiro de 2014, por volta das 23h20 na Rua 13, Jardim Botucatu, Distrito de Rubião Júnior

 

Sob a coordenação do presidente do Tribunal de Júri da Comarca e juiz titular da 2ª Vara Criminal, Henrique Alves Corrêa Iatarola, acontece nesta quinta-feira, a partir das 9 horas, o julgamento de três réus acusados de homicídio duplamente qualificado. São eles:  Antônio Darci de Santi, vulgo “Toninho Porcão”  (na condição de mandante);  Claudioo Aparecido de Siqueira Júnior, o “Japonês” ou “Claudinho” (executor);  e Paulo Ricardo Tavares de Souza (na condição de mentor intelectual).

Os três réus foram denunciados pela promotoria pública de serem partícipes do assassinato de Luiz Carlos Bento, crime ocorrido no dia 11 de janeiro de 2014, por volta das 23h20 na Rua 13, Jardim Botucatu, Distrito de Rubião Júnior. Representando o Ministério Público estará na acusação o promotor de justiça Marcos José de Freitas Corvino. Serão sete pessoas da sociedade botucatuense entre as 21 convocadas que formarão o Conselho de Sentença (júri popular) e definirão o futuro dos réus.

Consta na denúncia do Ministério Pùblico que os acusados por motivo fútil e emprego de recurso que impossibilitou a defesa, mediante disparo de arma de fogo, mataram Luiz Carlos Bento, que era desafeto de Toninho Porcão, apontado como mandante do crime, em razão de seu envolvimento amoroso com a mulher da vítima. No dia dos fatos Bento estava numa festa quando lá chegou Toninho Porcão e ambos começaram a discutir, mas não chegaram a entrar em vias de fato.

Porcão teria ido embora e contratado Cláudio Japonês e Paulo Souza para assassinar o desafeto. Os dois aceitaram e em um veículo VW Gol retornaram à festa e pediram que um convidado chamasse Bento. Este saiu e caminhou em direção ao carro, sendo iniciada uma discussão. Paulo Souza empurrou a vítima e Claudio Japonês saiu do carro empunhando uma espingarda de grosso calibre (provavelmente calibre 12) e disparou o tiro contra a  cabeça de Bento, que morreu no local. Após o crime os assassinos fugiram.

Na defesa dos réus Antônio Darci de Santi e Paulo Souza estará atuando o advogado criminalista Roberto Fernando Bicudo. O terceiro réu, Claudio Japonês, terá como defensor o advogado Edson Coneglian. Ambos trabalharão em plenário adotando a mesma tese:  negativa de autoria. “Não há nos autos do processo nenhuma prova concreta de que eles tenham participado desse crime”, aponta Bicudo.

 

Caso Limoni

Vale destacar que Paulo Ricardo Tavares de Souza e Claudio Aparecido Siqueira Júnior, o Japonês, também foram apontados como participantes do assassinato do empresário e professor Gilberto Limoni Filho, de 57 anos de idade na manhã do dia 11 de fevereiro de 2014,  na Rua João Batista Carnietto, região do Jardim Continental. Os dois teriam sido contratados pelo filho da vítima, Luiz Gustavo.

Na ocasião dos fatos, Gilberto Limoni Filho transitava com seu veículo Classic, com placas de Botucatu FFF-9519, pela Rua João Batista Carnietto, região do Jardim Continental, quando uma motocicleta vermelha que seria conduzida por Paulo Souza, emparelhou com o carro. O que estava no banco de passageiro da moto (Cláudio Japonês) , munido de uma espingarda calibre 12 de cano serrado, desferiu um tiro  à queima roupa atingindo o pescoço da vítima que morreu no local. Após o crime a dupla fugiu, sendo capturada dias depois pela Polícia Militar.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.