Botucatu, sábado, 19 de Outubro de 2019

Segurança
08/04/2017

Comandante da PM aponta que vizinhos podem se ajudar para coibir furtos



Foto: Valéria Cuter

Geralmente, os marginais entram pela porta dos fundos da residência e uma viatura em patrulhamento pode estar passando em frente desta casa e não perceber o crime

 

Um caso de furto realizado nesta sexta-feira mostra que vizinhos podem se ajudar para coibir furtos. Uma vizinha ao perceber que havia movimentação estranha na casa de seus vizinhos que estavam viajando acionou a Polícia Militar

Esse fato vem de encontro ao alerta feito pelo comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), de Botucatu, tenente coronel Jorge Duarte Miguel (foto), que agrega 13 municípios da região, sobre vizinhos se ajudarem mutuamente.  Jorge Miguel também está no Comando do Policiamento do Interior da 7ª Região (CPI-7), que tem sede Sorocaba e responde por uma área que abrange 79 municípios.

Ele aponta que apesar do trabalho de patrulhamento preventivo/ostensivo desenvolvido pelos bairros da cidade, a Polícia Militar tem registrado regularmente casos de furtos a interior de residências, levando os crimes para o setor investigativo da Polícia Civil.

Os marginais aproveitam-se da ausência dos moradores e invadem as residências (muitas vezes através de arrombamento de portas e janelas) e procuram objetos de valor que possam ser vendidos a receptadores ou trocados por entorpecentes em pontos de vendas conhecidos como “biqueiras” espalhadas pela cidade.

Para minimizar ocorrências de furtos, o comandante do 12º BPM-I e CPI-7  ensina que pode haver sincronismo e uma colaboração mútua entre vizinhos. “O vizinho quando observar a existência de alguém em atitude suspeita em frente de uma casa deve comunicar à polícia. Geralmente, os marginais entram pela porta dos fundos da residência e uma viatura em patrulhamento pode estar passando em frente desta casa e não perceber o crime”, coloca o comandante.

Jorge Miguel também aponta que muitas famílias viajam e deixam as casas sozinhas facilitando a ação dos marginais. Orienta para que as pessoas comuniquem seus vizinhos quando forem viajar para que as correspondências (jornais, cartas e revistas) não se acumulem.

”O volume de correspondências mostra que a casa está vazia e isso chama a atenção dos marginais que são oportunistas e ficam observando onde podem agir. Quando um cidadão for viajar com sua família deve pedir ao vizinho que recolha sua correspondência”, ensina. “É importante dificultar a ação do criminoso que sempre está pronto para agir e lesar o cidadão de bem”, concluiu o comandante.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.