Botucatu, quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

Segurança
19/10/2017

Acusado de desferir facadas contra companheiro é absolvido por júri popular



Sete pessoas da sociedade botucatuense (5 mulheres e 2 homens) entre as 23 convocadas pela justiça acataram a tese de negativa de autoria defendida pela advogada Rita de Cássia Barbuio e pela assistente Natália Medeiros

 

Nesta quinta-feira, dia 19,  O Tribunal de Júri do Fórum de Botucatu sob a a presidência do juiz Henrique Alves Corrêa Iatarola, realizou o julgamento do réu José Adreilson Ferreira da Silva, conhecido como André, denunciado pela promotoria pública como autor do homicídio tentado cometido contra Adelino José Jesus dos Santos. Crime se deu na tarde do dia 14 de março de 2015, na Rua Benedito Franco de Camargo, na Vila Santana.

Representou o Ministério Público o promotor de justiça Marcos José de Freitas Corvino e na defesa do réu esteve atuando a advogada criminalista Rita de Cássia Barbuio, que defendeu em plenário a tese de negativa de autoria. Foram sete pessoas da sociedade botucatuense (5 mulheres e dois homens) entre as 25 convocadas pela justiça que acataram a tese de defesa da advogada e o réu foi absolvido. Na assistência da defensoria esteve a advogada Natália Medeiros. “Estou muito satisfeita com o resultado, pois não havia provas de que acusado tenha cometido o assassinato. Fez-se justiça”, disse Garbuio.

A decisão dos jurados contrasta com a denúncia da promotoria que na explanação do crime apontou que José Adreilson e Adelino Jesus, moravam juntos num alojamento e prestavam serviços braçais a uma empreiteira, juntamente com um grupo de trabalhadores. No dia dos fatos eles se deslocaram até um bar e depois de ingerir muita bebida alcoólica, se desentenderam, mas não chegaram às vias de fato.

Aponta a denúncia que José Adreilson esperou Adelino Jesus dormir, apanhou uma faca e desferiu dois golpes contra o seu abdome. A vítima acordou e entrou em luta corporal com o agressor e acabou levando outras quatro facadas. José Adreilson fugiu, sendo preso, posteriormente.

Sangrando muito Adelino Jesus foi encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital das Clínicas (PSHC) da Unesp pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), onde passou por uma delicada intervenção cirúrgica e sobreviveu após permanecer internado por vários dias.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.