Botucatu, quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

Segurança
25/10/2017

Enteado que esfaqueou padrasto por partilha de bens vai a julgamento



Promotor de justiça, Marcos José de Freitas Corvino,  foi o autor da denúncia contra o réu

Crime aconteceu na manhã do dia 19 de outubro de 2012, no interior de uma panificadora na Rua General Telles, região central da Cidade, onde enteado e padrasto entraram em vias de fato por causa de um carro apreendido pela PM

 

Nesta quinta-feira, dia 26, a partir das 9 horas acontece o julgamento do réu Cláudio Lopes Fortunato Júnior que foi denunciado pelo Ministério Público (MP) como autor de homicídio tentado cometido contra seu então padrasto Rozivaldo Olímpio. Crime aconteceu em Botucatu na manhã do dia 19 de outubro de 2012, no interior de uma panificadora na Rua General Telles, região central da Cidade.

Estará coordenando os trabalhos em plenário o juiz titular da 2ª Vara Criminal, Henrique Alves Corrêa Iatarola,  presidente do Tribunal de Júri da Comarca de Botucatu. Representando o Ministério Público atua o promotor de justiça substituto Marcelo Otávio Camargo Ramos. Conselho de Sentença será formado, através de sorteio, por sete pessoas da sociedade botucatuense, entre as 25 convocadas. O defensor do réu será o advogado criminalista, Ezeo Fusco Júnior.

Aponta a denúncia assinada pelo promotor Marcos José de Freitas Corvino, que Rozivaldo Olímpio estava se separando de sua companheira, mãe de Cláudio Lopes, e no acordo de partilha cada um ficou com um carro da família. Para a mulher ficou um VW Gol, que passou a ser usado por Cláudio Lopes.  Entretanto o veículo foi apreendido em uma blitz da Polícia Militar (PM),  em razão de documentação irregular. Como o veículo ainda estava em nome de Rozivaldo Olímpio, ele acertou a situação pagando os atrasados, retirou o carro, mas  não o devolveu, decidindo aguardar o resultado da ação de partilha, que tramitava na justiça.

Irritado por ficar sem o carro, Cláudio Lopes, armou-se de uma faca e a enrolou em uma blusa deslocando-se até a padaria onde o ex-padrasto trabalhava e ambos passaram a discutir. Quando Rozivaldo percebeu que Cláudio estava armado saiu correndo e refugiou-se na padaria, mas ao chegar  no segundo andar do prédio foi alcançado e recebeu cinco facadas que atingiram o peito (2),  tórax, braço direito e palma da mão esquerda.  No último golpe a arma branca chegou a se quebrar.

Testemunhas que acompanhavam o entrevero vieram em socorro da vítima e o agressor fugiu, sendo capturado horas depois. Rozivaldo Olimpio foi conduzido ao Pronto Socorro do Hospital das Clínicas (PSHC) da Unesp, onde passou por uma intervenção cirúrgica permanecendo nove dias internado com lesões no pulmão. A expectativa é que ele esteja presente ao julgamento e atue como principal testemunha da acusação.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.