Botucatu, domingo, 20 de Outubro de 2019

Segurança
24/08/2018

Rapaz de 21 anos é lesado em R$ 6 mil ao cair em golpe do celular premiado



Foto - Divulgação/Ilustrativa

Geralmente este tipo de crime é cometido por presidiários que se especializaram neste tipo de crime e agem por todo o Brasil e de dentro de suas celas ligam, aleatoriamente, para as vítimas

 

Um rapaz de 21 anos de idade, que mora em Botucatu,  foi lesado por um estelionatário, via celular  ao cair no golpe do telefone premiado e acabou perdendo cerca de R$ 6 mil. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

Destaca o boletim de ocorrência (BO) que a vítima atendeu a uma ligação e do outro lado da linha uma pessoa a cumprimentou, efusivamente,  dizendo que o número do seu telefone celular havia sido sorteado e ela tinha o direito a um prêmio em dinheiro. Entretanto, para que pudesse receber teria que fazer depósito numa determinado conta.

Ele, inicialmente, transferiu R$ 1.500, mas os telefonemas continuaram até que chegassem aos R$ 6 mil. Só então ele percebeu que havia sido ludibriado. O forte poder de persuasão (convencimento) do golpista e na expectativa de ganhar dinheiro do prêmio, fez com que ele acabasse caindo no golpe.

Geralmente este tipo de crime é cometido por presidiários que de dentro de suas celas ligam, aleatoriamente, para as vítimas. Eles se especializaram neste tipo de crime e agem por todo o Brasil. Além desse golpe do prêmio, outros tipos de golpe, via telefone, são aplicados.

Como o esclarecimento desse tipo de crime é difícil de acontecer,  a orientação é que a pessoa que receber qualquer tipo de ligação estranha oferecendo vantagens e dinheiro fácil deve, imediatamente,  acionar as forças de segurança (Polícia Militar, Polícia Civil ou Guarda Municipal) e não cumprir as exigências de quem está do outro lado da linha.

Outros golpes, via celular

Também vêm de presídios outros golpes, via telefone celular, como o que busca arrecadar créditos. Neste golpe, o criminoso liga para a vítima dizendo que ela tem certa importância em dinheiro para receber, mas tem seguir algumas instruções e o golpista a convence a comprar créditos de celular.

O falso sequestro é outro golpe de presidiários. O autor liga, aleatoriamente, para a vítima e diz que está com o filho/a (ou num parente próximo) e exige dinheiro para o resgate. Com ameaças de morte e aproveitando a situação de nervosismo, os golpistas acabam convencendo a vítima de que realmente está com alguém de sua família. O estelionatário procura manter o contato com a vítima todo o momento, não deixando que ela desligue o telefone para que não entre em contato com ninguém.

Também o golpe “bença tia” é aplicado com relativa freqüência. Nele a pessoa é contatada pelo golpista que se identifica como sendo um parente (geralmente sobrinho) que está indo visitá-la, mas alega estar em dificuldade em razão da quebra de seu carro e solicita que ela deposite dinheiro em sua conta corrente, para que possa contratar um guincho e pagar os serviços do mecânico.  Durante a conversa a vítima acaba passando dados pessoais que aumentam o poder de convencimento do criminoso e ajudam a consumação do crime.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.