Botucatu, quarta-feira, 26 de Junho de 2019

Segurança
14/05/2019

Pedófilo está sendo procurado por assédio à menina de 10 anos em Botucatu



Foto Divulgação/Ilustrativa

 

O pai da criança, se fazendo passar pela menina manteve contato com o desconhecido e durante o diálogo o criminoso pediu que ela lhe encaminhasse fotos, mas não revelasse aos pais

 

A Polícia Civil de Botucatu está investigando a um caso de pedofilia, via internet, tendo como vítima uma menina de 10 anos de idade e como suspeito um cidadão do Mato Grosso do Sul. Em razão da complexidade do caso, detalhes maiores desse caso não serão publicados.

Segundo o que foi apurado até agora, os pais dessa menina autorizaram que fosse criado seu perfil na internet, assim como Facebook e Instagram para jogos e filmes, mas não deixaram de monitorar o computador da filha.

Foi, então, que o pai flagrou uma mensagem estranha que vinha de um internauta do Mato Grosso do Sul, pedindo para ser amigo da menina. O pai, se fazendo passar pela menina manteve contato com o desconhecido.

Durante o diálogo ele pediu que a menina lhe encaminhasse fotos, mas não revelasse aos pais. A conversa foi gravada e o caso encaminhado à Polícia Civil para que o pedófilo seja identificado. Não está descartada a possibilidade de que outras crianças estejam sendo assediadas por esse mesmo criminoso.

 

O crime

Vale destacar que a polícia alerta sobre a facilidade de se criar um perfil falso e se “esconder” atrás de uma máquina fazendo com que os criminosos se aproveitem da situação e criem a ilusão de que não serão descobertos e presos. Entre as principais vítimas de pedofilia nas redes sociais estão as meninas: mais de 70% sofrem investidas e abusos dos criminosos.

Criminosos preferem as mais novas, pois o risco de denúncia acaba sendo menor, já as meninas com idade acima dos 14 anos provocam risco de denúncia maior por já saberem mais sobre a vida e riscos que podem correr ao se envolver com pessoas desconhecidas.

Outro dado é que 95% dos perfis criados para a prática do crime são ‘fakes’, que coloca o Facebook entre os grandes vilões da internet. Nele, existem muitos perfis falsos e, se algo é falso, sempre há uma má intenção.

Polícia aponta que a preservação do perfil é importante, para que o possível criminoso não consiga excluir a sua conta e assim “sumir” sem que seja identificado. Uma vez mantido o perfil, é feito o pedido de quebra do sigilo telemático, chegando assim ao endereço IP do criminoso. E, chegando ao endereço, encontra-se o autor e a partir daí é encaminhado à delegacia de origem, para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

De acordo com estatísticas, no Brasil, a exploração sexual de crianças e adolescentes é crime previsto no artigo 244-A do Estatuto da Criança e do Adolescente. Quem cometer o crime está sujeito a pena de 4 a 10 anos de reclusão, além da multa.










© Alpha Notícias. Todos os direitos reservados.